Grupo de Trabalho no âmbito da disciplina de Biologia e Geologia ano 2

08
Fev 09

A evolução é sempre objecto de atenção por parte de muitos investigadores.

 

Acerca da evolução a teoria que actualmente reúne maior consenso científico fundamenta-se do Darwinismo, com algumas reformulações, apoiadas nos recentes conhecimentos oriundos das descobertas da Genética, Paleontologia e Taxonomia – a Teoria Sintética da Evolução ou Neodarwinismo.

 

Com este trabalho, realizado no âmbito da disciplina de Biologia, pretendemos desenvolver e clarificar esta teoria evolucionista, saber no que consiste, quem contribuiu para a sua formulação, de onde partiu e qual a sua finalidade na ciência actual.

 

Através de pesquisas efectuadas na Internet e em livros, tentaremos redigir um trabalho que permita esclarecer esta teoria e tentar responder à questão problema deste trabalho, “Como se explica a origem da variabilidade intraespecífica de uma população à luz do Neodarwinismo?”.

 

“(…) A evolução significa mudança e, contudo, o paleontólogo é o único biólogo que verdadeiramente estuda a dimensão tempo. Se não se dispusesse do registo fóssil, a maioria dos problemas não poderia ser resolvida; na realidade, muitos deles nem sequer teriam surgido. ”

                                                                                                          Ernst Mayr

 

NeoDarwinismo às 19:26

Até 1930, o modo como as variações verificadas nas espécies se transmitiam de geração em geração permaneciam por explicar.

Os anos compreendidos entre 1930 a 1940 caracterizaram-se por intensos debates acerca da evolução. É nesta altura que os investigadores combinam as ideias originais de Darwin com os dados que entretanto surgiram na Genética, na Paleontologia, na Biogeografia, na Embriologia e mais tarde na Etologia.

Em 20 de Julho de 1822, na Silésia, nasceu um Homem que muito contribuiu para estudos acerca da hereditariedade e genética, Gregor Johann Mendel, filho de uma família de camponeses.

Mendel criou a base da genética moderna. Embora seus estudos tenham permanecido obscuros até o século XX eles influenciaram a biologia como um todo dando origem a todos os estudos anteriores sobre hereditariedade e genética.

Mendel morreu a 6 de Janeiro de 1884 com 62 anos de idade.

Os cientistas que mais contribuíram para o surgimento da Teoria Neodarwinista foram:

 

      T. Dobzhansky e S. Wright – ambos geneticistas;

      Ernest Mayr – biogeógrafo e taxonomista;

      George Simpson – paleontologista;

      G.L.Stebbins – botânico.


O resultado foi o aparecimento de uma teoria denominada Teoria Sintética da Evolução ou também chamada Neodarwinismo. O Neodarwinismo é uma teoria que complementa a teoria de Darwin, pois explica a variabilidade intraespecífica que Darwin não soube explicar.

Esta foi introduzida por Julian Huxley, no seu livro “Evolução”, tendo como ideias fundamentais a variabilidade genética e a selecção natural.

 

NeoDarwinismo às 19:24

A diversidade do mundo vivo tem como fonte primária as mutações, e como fonte mais próxima a recombinação genética. As mutações introduzem novidade genética mas é principalmente a recombinação génica que cria a variabilidade favorecendo o aparecimento de uma multiplicidade de diferentes combinações de genes.

 

NeoDarwinismo às 19:23

As mutações ocorrem no DNA dos cromossomas, podendo afectar um ou mais nucleótidos ou até numerosos genes, alterando, neste caso, a estrutura dos cromossomas e/ou o seu número. Estas mutações podem ocorrer em qualquer altura da vida de um organismo e afectar qualquer célula.

 

O efeito das mutações na evolução varia também em função do gene mutado. Se numa mutação se origina um gene dominante, os seus efeitos manifestam-se e a selecção natural pode actuar sobre os indivíduos em que o gene se exprime. Se a mutação origina uma característica menos vantajosa, a selecção natural actua sobre o indivíduo no sentido de o eliminar progressivamente do meio.

 

Numa situação em que a mutação é desvantajosa não há contributo evolutivo (por exemplo as mutações somáticas e as letais e todas aquelas que conferem menor capacidade de sobrevivência).

 

Noutros caso, porém, as mutações têm um efeito favorável e permitem aos seus portadores viver mais tempo e reproduzir-se mais.

As mutações são a fonte primária de variabilidade genética, introduzindo nas populações novos genes.

 

NeoDarwinismo às 19:22

Apesar de as mutações serem a fonte primária de variabilidade genética, a fonte mais próxima de diversidade nas populações é a recombinação dos genes através da reprodução sexuada.

 

Pode ser ao nível da meiose ou ao nível da fecundação...

NeoDarwinismo às 19:20

Durante a meiose ocorre alguns processos que contribuem para a variabilidade genética.

Esses processos são:

       Profase I: ocorre o fenómeno denominado crossing-over. Os cromossomas homólogos emparelham e sobrecruzam-se em vários pontos podendo ocorrer quebras e trocas de segmentos entre cromatídeos de cromossomas homólogos.

 

        Metafase I: quando os bivalentes ocupam o plano equatorial do fuso mitótico, a colocação de cada cromossoma de cada par de um lado ou de outro do plano equatorial faz-se ao acaso.


 

        Anafase I: como a redução do número de cromossomas resulta da separação ao acaso dos cromossomas homólogos, surgem várias formas de combinações cromossómicas.

        Anafase II: redução do número de cromatídeos por cromossoma. Cada cromossoma passa a ter um só cromatídeo.

 

NeoDarwinismo às 19:19

A fecundação é uma fonte de variabilidade genética que existe nos indivíduos das populações.

 

Na fecundação a união de dois gâmetas ao acaso, de entre o grande número que se constitui, origina um zigoto que representa potencialmente um indivíduo.

Este aspecto aleatório do encontro dos gâmetas faz variar extraordinariamente as associações dos genes. Daqui resulta a possibilidade de se formar uma grande variedade de ovos que originam indivíduos diferentes entre si.

 

Por exemplo, um casal humano pode ter filhos com fenótipos bastante diferentes, porque cada progenitor produz muitos gâmetas com características genéticas diferentes e apenas um espermatozóide e um óvulo são necessários para a fecundação.

 

Se numa população sem produção sexuada ocorrem vinte mutações, originam-se no máximo vinte formas diferentes de indivíduos. Essas mesmas mutações em indivíduos com recombinação génica originam 220 novas formas de indivíduos.

 

NeoDarwinismo às 19:15

É sobre esta enorme diversidade de indivíduos de uma população que actua a selecção natural.

 

A selecção natural consiste numa reprodução diferencial que privilegia o conjunto génico mais bem adaptado em detrimento de um menos adaptado, que origina menos descendentes.

Cada conjunto génico confere determinadas potencialidades adaptativas aos indivíduos para um determinado meio e num determinado momento.

 

Quanto maior a diversidade, maior a probabilidade de uma população se adaptar a mudanças que ocorram nesse meio, pois entre toda essa diversidade pode aparecer um conjunto génico que seja favorecido pela selecção natural. As populações muito homogéneas e bem adaptadas podem ser eliminadas se, no seu habitat, ocorrerem, por exemplo, mudanças climáticas.

 

A selecção natural pode ser consequência de factores do meio físico (a temperatura, a humidade, o tipo de solo, etc.) e biótico (podem ser relações estabelecidas entre os seres como a predação, parasitismo, simbiose, etc.)

Quando as características do meio se alteram, o conjunto génico favorável pode deixar de o ser no novo ambiente.

Uma característica é ou não adaptativa conforme o ambiente em que se desenvolve e em relação às restantes características do indivíduo e, por isso, o conceito de “mais apto” varia no tempo, no espaço e com a espécie.

 

NeoDarwinismo às 19:14

Com a realização deste trabalho podemos concluir que a Teoria Sintética da Evolução ou Neodarwinismo foi formulada por vários pesquisadores durante anos de estudos, tomando como essência as noções de Darwin sobre a selecção natural e incorporando noções de genética.

 

Conseguimos responder à questão problema colocada, “Como se explica a origem da variabilidade intraespecífica de uma população à luz do Neodarwinismo?”

 

Para a variabilidade intraespecífica contribuem as mutações, alguns processos que ocorrem na meiose e a fecundação. É sobre estes indivíduos que vai actuar a selecção natural, desfavorecendo os menos aptos (vão sendo eliminados progressivamente do meio) e favorecendo os mais aptos ao meio (vão viver durante mais tempo e assim reproduzirem-se dando novos descendentes).

 

É através destes processos que se pode explicar a evolução das espécies ao longo do tempo.

 

 

 

NeoDarwinismo às 19:13

Colégio De Calvão 2009
Fevereiro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28